LAM retoma voos para Lisboa

A LAM retoma voos para Lisboa e inaugura voo ara Cidade do Cabo.

A empresa Linhas Aéreas de Moçambique (LAM), através do Diretor operacional da Fly Modern Ark (FMA), Sérgio Matos, anunciou, no dia 31 de Outubro de 2023 que a companhia moçambicana deverá faturar, por cada voo realizado de Maputo para Lisboa, entre 560 e 600 mil dólares. Após os custos operacionais, a companhia prevê absorver um lucro entre 320 a 360 mil dólares.

Os voos serão operados pela companhia portuguesa EuroAtlantic Airways, contratada pela LAM, com o recurso a uma aeronave Boeing 777, com capacidade para 302 passageiros.

O Sérgio Matos, reiterou que “precisa-se de uma taxa de ocupação de para conseguir ter tudo pago, com um retorno entre 320 e 360 mil dólares por voo. Tudo isso depende de quantos assentos serão ocupados em cada classe". Em conferência de imprensa, realizada em Maputo. Na ocasião, a LAM anunciou a retoma de voos para Lisboa, a partir de 12 de dezembro, com frequência semanal de três voos.

De acordo com o Diretor Geral da LAM, João Carlos Pó Jorge, a rota Maputo-Lisboa é das mais densas e a companhia já tem garantia de um corpo técnico capacitado para colaborar na operação da rota, porque já o fez no passado, tanto que o voo já está nas plataformas de venda de bilhetes.

Apesar do apuramento do lucro para os voos Maputo-Cidade do Cabo, na África do Sul, ainda não estar concluído, tecnicamente, nessa rota, a receita pode ser maior. Tudo vai depender da capacidade da LAM em operar o maior número de voos para aquele destino, previsto avançar no dia 22 de novembro.

"Ainda estamos a negociar com a operadora para termos um jato CRJ 1000, para acomodar a classe executiva. Estamos a fazer os últimos apanhados dos custos operacionais. Porém, na verdade, tudo depende de nós. Quanto mais voos a LAM realizar, mais lucros terán, avançou Sérgio Matos.

O contrato com a Euro Atlantic implica a cobranças por hora de voo, já o operador sul-africano, CRM, cobra mensalmente 85 mil dólares. "Vamos ter um ganho entre 700 mil e 800 mil dólares por mês, só dessa rota, mas vai depender da nossa performance”, frisou Sérgio Matos.

A divida da LAM caiu dos cerca de 402 milhões de dólares para 290 milhões de dólares, indicou o Diretor de Projecos da Fly Modern Ark, contudo, a confirmação da dívida atual será anunciada na auditoria do próximo ano. "A dívida da LAM está a baixar, porém, não como pretendemos. Para tal precisamos de aumentar o número de frotas. Só desta forma é que podemos ter maiores receitas", disse o responsável, sublinhando que “a auditoria deste ano indica que a redução ronda 340 milhões de dólares", avançou. Aurélio Sambo - Correspondente.